Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://localhost:80/jspui/handle/123456789/548
Título: AS PRÁTICAS PSICOLÓGICAS NO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO
Autor(es): Silva, Gabriel Marcos da
Primeiro Orientador: Vieira, Paula de Deus
Palavras-chave: Práxis Psicológicas;Reinserção Social;Sistema Prisional Brasileiro;Justiça Restaurativa
Data do documento: 3-Out-2020
Editor: Fundação Educacional de Lavras
Resumo: O sistema penitenciário, tal como existe hoje afeta diretamente no estado psicológico, corrompendo e deteriorando cada vez mais a saúde mental dos presos. O trabalho do psicólogo está diretamente voltado para os compromissos sociais, práticas e intervenções baseadas em prevenções e reeducação dos sujeitos e da sociedade. As práticas psicológicas são atividades que profissionais da psicologia desenvolvem a fim de contribuir no desenvolvimento da busca de autoconhecimento e crescimento pessoal, visando uma qualidade de vida para o sujeito. Objetivos: O presente estudo teve por objetivo realizar um levantamento de conteúdos nacionais referente às intervenções psicológicas no sistema prisional brasileiro. Método: A metodologia utilizada neste trabalho é o método essencial da pesquisa bibliográfica, também considerada como teórica-conceitual, utilizando-se de uma abordagem qualitativa, exploratória e descritiva. Resultados: Por se tratar de um campo novo para a psicologia, não há relatos de práticas que visem acompanhamento humanizado e subjetivo, mas tal prática é sugerida visando o bem-estar e proteção, com tratamentos dignos que envolvem cuidado, respeito, acolhimento e acompanhamento psicológico. Conclusão: As práticas existem como sugestões, nos artigos científicos há uma dificuldade de encontrar textos relacionados ao assunto. É preciso pensar e repensar quanto as práticas psicológicas e suas ações no âmbito carcerário, e que essa falta tem impacto significante quando o assunto é ressocialização, reeducação, reintegração e políticas públicas para o sistema prisional. Tudo isso oferece grandes impasses que deturpam ainda mais o sistema e os condenados. Não há relatos de práticas que visem acompanhamento humanizado e subjetivo, mas tal prática é sugerida.
URI: http://localhost:80/jspui/handle/123456789/548
Aparece nas coleções:TCC-Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC Gabriel Marcos.pdf334.79 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.